OSSO - 36.jpg

OSSO

APT.LAB - [2016]

OSSO é um trabalho que articula os movimentos condicionados na relação entre um gesto e um objeto. No intervalo entre o corpo e a tecnologia estão expostas as forças que modulam componentes de atração e repulsa, em trajetórias repetitivas, assimétricas e não periódicas. O processo de construção desta relação passa por ações que internalizam e externalizam energias cinéticas emergentes, provocando um sistema ressonante. Desta forma o sistema mantem uma constante excitação determinada pelo coeficiente de mola e a massa, com parâmetros de fase e amplitude variáveis, tronando audíveis os índices de uma relação que fricciona, arrasta, atrita, quebra. OSSO coloca em prática um ambiente performático que expõe características de hibridação entre o corpo e a tecnologia a partir das forças produzidas no intervalo entre sujeito e o objeto.


OSSO integra uma coletânea inicial de materiais desenvolvidos dentro da plataforma APT.LAB no ano de 2016, criados através do incentivo PROAC Artes Integradas 2015 que resultou em um agrupamento de partituras e módulos que investiga a relação entre corpo, som e tecnologia. Em Osso a performance se dá a partir da relação do corpo com um aro rígido, uma cinta de ferro onde é acoplado um captador de contato (capsula piezo elétrica). A partir deste acoplamento, movimentos e deformações são sonorizados a partir da variação de forma empregada pela performer ao objeto. O corpo que se apresenta é um corpo rasteiro e pouco articulado. O captador de contato acoplado à este objeto permite revelar como uma espécie de fala o som interno do mesmo, a cada micro tensionamento, modulação e acionamento na direção de sua forma produz-se uma sonoridade que responde na mesma proporção e tempo ao seu estimulo. As mãos da performer tomam-se aqui posicionamento decisivo e funcionam como o sensor de mediação entre as micro-deformações do objeto, sua massa e seu ruído, sendo responsável por perceber, detectar e conduzir a informação ao restante do corpo. A imagem coreográfica se desenvolve na responsabilidade mútua de conexão entre corpo e objeto, em uma interdependência real onde move-se junto, pausa-se junto, modula-se junto. O corpo ao se deslocar busca as micro deformações que o objeto propõe, ao passo que o objeto toma outras formas a partir desta resposta. Objeto e corpo ocupam uma unidade simbiótica, um híbrido de deformações conjuntas.

FICHA TÉCNICA

Criação:
Talita Florêncio
Thiago Salas

Performance:
Talita Florêncio

 

Design de Som:
Thiago Salas

 

Plataforma de Pesquisa:
APT.LAB

OSSO.jpg